I) Objetivo

O Multiacervo é um sistema de informações voltado para a administração avançada, organização, difusão e consulta ao acervo de unidades de informação, únicas ou distribuídas, em conformidade com padrões mundiais da biblioteconomia e Ciência da Informação.

II) Clientes:

a) Público alvo: Toda instituição interessada em informatizar e organizar sua unidade de informação. Uso adequado para bibliotecas públicas ou privadas, acadêmicas, especializadas ou temáticas. Alguns exemplos: colégios, bibliotecas públicas, faculdades, museus, memoriais, indústrias, organizações empresariais ou autônomas de qualquer ramo de atividade: Conselhos de categorias profissionais, centros médicos, hospitais, câmaras de vereadores, tribunais, escritórios de advocacia.

b) Alguns clientes referenciais: Cerca de 500 bibliotecas nos honram ao usar nosso sistema. Acesse a lista das principais referências no nosso site www.pensa-b.com.br

III) Características gerais:

• Sistema disponibilizado em língua portuguesa, aceitando todos os caracteres previstos e adotando o formato padrão de datas. No portal do leitor toda a comunicação pode também ser redigida em inglês.

• Suporte para várias unidades depositárias, que trabalham de forma integrada mas preservam a independência que lhe couber. Desta forma pode-se integrar no mesmo banco de dados diversos campus distribuídos, para instituições de ensino, ou diversas filiais, para bibliotecas especializadas.

• Apóia-se no conhecimento científico e prático obtido pela contribuição de dezenas de bibliotecários, tornando-se com isto uma solução ampla e rica e, ao mesmo tempo, simples de se utilizar. É compatível com AACR2.

• Roda em plataforma totalmente Web, seja internet, intranet ou extranet. Pode-se formar uma rede local somente para a biblioteca ou disponibilizar para toda a instituição. O acesso pelo leitor para efetuar consultas, reservas, renovações e vários outros serviços pode ser feito remotamente, via intranet ou internet (OPAC).

• Possui uma interface extremamente amigável, em forma gráfica, com menú de opções, ajuda on-line e recursos que permitem trabalhar com a filosofia mesa limpa. Utiliza controle de acesso via senhas, com a combinação de diversos direitos para cada operador formando múltiplos níveis de permissão;

• Permite importar e exportar registros bibliográficos para alimentação de sistemas de catalogação cooperativa, com formato ISO-2709.

• Permite acesso on-line a catálogos coletivos, via protocolo de comunicação Z39.50, tanto em versão cliente como em versão servidor.

• Possui web services para integração do cadastro de leitores e das multas com outros aplicativos.

• Possui aplicativo para acesso via dispositivos móveis (celular, tablet e outros), permitindo pesquisa, renovação, reserva, inventário (pelo bibliotecário) e recebimento de notificações.

• Existem cerca de 500 bibliotecas utilizando-o plenamente, com elevado grau de satisfação;

• Segue padrões mundiais de biblioteconomia, principalmente quanto ao “Formato MARC 21 Bibliográfico” e “Marc Autoridades”, bem como também quanto a uniformização dos serviços oferecidos pelas bibliotecas;

• Está apto a trabalhar com modernas tecnologias como arquitetura cliente / servidor e internet, acesso simultâneo e ilimitado de usuários, com arquivos eletrônicos como fotos, imagens, apresentações, planilhas, projetos e outros;

• Procura valorizar o leitor e isto reflete na sua participação ativa junto a biblioteca e na melhor avaliação da instituição como um todo. A valorização ocorre em vários momentos, tais como e-mails informativos, murais eletrônicos, avisos, disseminação seletiva da informação, folksonomia e reservas agrupadas. A folksonomia proporciona a oportunidade do leitor contribuir na indexação dos documentos, enquanto a reserva agrupada é uma clara demonstração do interesse da biblioteca em auxiliar o leitor.

• Permite criar diversas Pivot Tables, que permitem visualização em gráficos de vários estilos, com informações gerencias diversas sobre as consultas, acervo e empréstimos.

• Procura também valorizar o bibliotecário, através de vários relatórios operacionais para controle e estatísticos para gerenciamento, com gráficos, bem como funções para aumento de produtividade, como intercâmbio de documentos, automação para envio de informativos, fechamentos de períodos e outros.

• Sua estrutura é simples e objetiva. Isto se reflete positivamente no aprendizado, seja na capacitação de seus operadores ou na preservação do conhecimento, e preservam sua filosofia de simplicidade e eficiência.

• Possui alta capacidade de armazenamento para todos os dados, que são entrados e atualizados de forma on-line e possuem integridade referencial.

• É desenvolvido com o GeneXus, um produto de uso internacional classificado atualmente como uma das ferramentas mais poderosas no mundo (www.genexus.com).

IV) Resultados alcançados:

Usando o MultiAcervo o bibliotecário conseguirá em pouco tempo:

• Catalogar todo o seu acervo, seja de livros, enciclopédias, fitas de vídeo, CD-ROM, jornais, revistas, arquivos eletrônicos, imagens, normas técnicas, procedimentos, mapas, memorial, itens de museu ou outros

• Habilitar-se a promover intercâmbio de dados com outras instituições, através do formato MARC 21, tanto entre unidades coligadas como unidades independentes

• Disponibilizar consultas e outros serviços on-line, em rede para toda a instituição, ou mesmo via internet / intranet

• Controlar a movimentação do material (empréstimos, devoluções, renovações, reservas, penalidades, estatísticas e avisos) de forma integrada a todo o sistema

• Controlar Empréstimos entre bibliotecas.

• Controlar adequadamente as reservas, de forma descentralizada, isto é, o cliente da biblioteca e o sistema, em conjunto, gerenciam esta atividade

• Administrar eficientemente sua biblioteca ou centro de documentação com o uso de etiquetas de lombada e de código de barras, relatórios de controle, relatórios estatísticos, informes via e-mail, inventário do acervo e informes dinâmicos na tela principal de pesquisa

• Manter pleno controle das publicações periódicas (jornais e revistas)

• Organizar e otimizar o processo de aquisição de novos materiais

• Gerenciar normas e legislação, integradas ao acervo.

• Organizar e controlar o uso de autoridades, tais como autores e assuntos, inclusive com o uso de Thesaurus

• Capacitar-se a responder rapidamente a questionamentos sobre o acervo, tal como acervo por área de conhecimento, acervo por curso e disciplina, listagem de doações, planilhas em formato pré-estabelecido. Isto é particularmente útil para trabalhar com o MEC.

• Gerenciar sua unidade de informação, através de diversos dados estatísticos sobre empréstimos, consultas e buscas, inclusive com ferramentas de Bussines Intelligence (BI).

• Abrir sua biblioteca e promover uma forte integração com o seu público, através de uma rotina de comunicação ampla e objetiva por e-mails e através de telas onde o leitor sugere, opina, descobre e avalia os recursos.

• Motivar seu público a utilizar ao máximo os recursos da biblioteca, através de estratégias como permitir que sugira indexação, permitir registrar e compartilhar comentários sobre obras, opinar se gostou ou não gostou de uma obra, sugerir aquisições e vários outros serviços

• Conduzir enquetes com o público para obter preferências gerais sobre um determinado tema.

V) Recursos das funções:

a) Processamento técnico ( Catalogação e outros subprodutos )

• Abertura para cadastrar qualquer tipo de documento, tal como livros, enciclopédias, CDs, Fitas de vídeo, jornais, revistas, artigos de revistas, normas técnicas, documentos eletrônicos, fotos, catálogos, projetos, obras raras, memória técnica, frascos de perfume, folders de marketing e outros.
• O cadastro contempla o registro bibliográfico em consonância com formato Marc 21, dados da coleção (exemplares), dados de área de conhecimento, curso e disciplina, investimento por centro de custo, data do cadastramento, data da aquisição, moeda, valor da aquisição e outros dados.
• Trabalhar com autoridades em conformidade com formato Marc Autoridades.
• Todos os tipos de documentos são cadastrados na mesma tela de documentos.
• Todas as tabelas que formam o banco de dados são abertas, isto é, a biblioteca terá total autonomia para manter sua base de dados correta e atualizada. Por exemplo, novos idiomas, novos tipos de documentos, novas editoras, novos locais de publicação e assim por diante.
• Criar uma planilha de campos específica para cada tipo de documento. Com isso se simplifica e agiliza a catalogação.
• Construir automaticamente listas de autoridade a partir dos registros incluídos em formato MARC.
• Salvo falhas humanas, se eliminam as anomalias de catalogação, tal como um mesmo autor estar cadastrado 2 vezes com nomes diferentes. Isto ocorre porque todos os dados que complementam o documento, tais como autoridades (autores, séries e assuntos), editoras, locais de publicações e outros, são armazenados em tabelas próprias.
• Registro completo, normalizado e flexível da coleção, isto é, dos itens que formam os exemplares, registrando fornecedor, forma, datas e valor de aquisição, bem como seus dados individuais. O sistema reconhece qualquer subdivisão de documentos. (volume, tomo, parte, anexo, etc).
• Registro da situação de cada exemplar (Em restauro, desaparecido ou outras)
• Mecanismos de aumento de produtividade, tal como inserção de exemplares em lote, inserir novos exemplares para documentos já existentes, numeração sequencial ou manual dos tombos, funções para recuperar instantaneamente códigos de qualquer entidade do sistema e várias outras facilidades, identificação de números vagos de documentos e de tombos.
• Termos a descartar na ordenação alfabética por título (exemplo: o, os, a, as).
• Remissivas de autoridades, permitindo a recuperação pelos termos não-autorizados, remetendo-os aos termos autorizados.
• Quantidade livre de responsabilidades (autoria) e de palavras-chave por documento.
• Abertura para armazenar documentos eletrônicos, com possibilidade de visualização imediata do conteúdo (planilhas, processadores de texto, páginas da internet, fotos, desenhos e outros arquivos de computador).
• Etiquetas de identificação com código de barras e etiquetas de lombada, separadas ou unificadas.
• Poderosa ferramenta para recuperação, listagem e exportação do acervo, em vários formatos, permitindo recuperar, por exemplo, listagem das aquisições efetuadas em determinado período, listagens do acervo por área de conhecimento, listagens do acervo por curso e disciplina, listagens do acervo por localização, listagem por idioma, listagem das doações e várias outras combinações de critérios de seleção.
• Vínculo com áreas e subáreas de conhecimento, com posterior recuperação.
• Vínculo dos exemplares com cursos e disciplinas, com posterior recuperação.
• Permite controlar as permutas e empréstimos entre bibliotecas.
• Interage com os recursos oferecidos pelos browsers modernos e isto disponibiliza tradução e correção ortográfica on-line.
• Permite registrar as doações, tanto de entrada como de saída, emitir formulários para assinatura das partes envolvidas e emitir relatórios estatísticos.
• Controle de arquivos, os documentos podem ser diferenciados em documentos do tipo Bibliográfico e arquivo (documental). Caso seja do tipo arquivo serão utilizados os campos conforme a norma NOBRADE.
• Integrações avançadas e flexíveis com repositórios digitais, interno ou na nuvem. Por exemplo, DSPACE.

Diferenciais do processamento técnico:

• É permitido criar textos explicativos e orientativos para cada subcampo do registro bibliográfico, ampliando com isso a qualidade da catalogação coletiva.
• Acesso a lista de autoridades de forma avançada, por qualquer parte do nome em qualquer posição.
• Controle de revisões de autoridades
• Controle de revisões de documentos
• Agrupamentos de documentos diferentes, porém similares, para permitir reserva única. Muito útil para literaturas publicadas em diferentes formatos mas com mesmo conteúdo.
• Permitir associação de uma imagem, tal como a capa do livro, e apresentá-la sob a forma de miniatura, na tela de resultado da pesquisa.
• Indicação de campos obrigatórios na catalogação. Os exemplares só poderão ser incluidos se estes campos existirem.
• Utilizar subcampo com conteúdo exclusivo criado automaticamente. Pode ser usado em bibliotecas especializadas para numerar peças idênticas porém de fornecedores diferentes.
• Gestão de doações de itens.
• Montar relacionamento entre as autoridades e exibi-las sob a forma de Thesaurus, com as opções “Formada por”, “Remissiva”, “Ver também” e “Descrição”.
• Funções “De / Para” que permite substituição em lote de entidades usadas no sistema. Isto permite unificar entidades que estejam cadastradas mais de uma vez. Utilizada para documentos, autoridades, editoras, locais de publicação, categorias de empréstimo, tipos de aquisição, idiomas, leitores, tipos de documento e outras entidades.
• Obtenção do conteúdo de arquivos pdf pesquisáveis (Em desenvolvimento).
• Pesquisa e intercâmbio de dados na “Rede de bibliotecas MultiAcervo”. Pode-se selecionar as bibliotecas participantes da rede, efetuar pesquisas e importar os registros bibliográficos.

b) Pesquisa

• Consultas gerais por palavras, em qualquer ordem, com independência total de acentuação e letras maiúsculas / minúsculas. A busca pode ser feita, de forma exclusiva ou combinada, no título, autor, assunto ou outras informações do documento. Pode-se filtrar determinados tipos de documento, idiomas, ano de publicação e incluir ou desprezar itens de periódicos. Pode-se refinar a busca por proximidade ou distância entre termos. O resultado, praticamente instantâneo, exibe uma linha para cada documento recuperado e permite detalhar os desejados. A ordenação é por título ou por data. Pode ser usado pelo bibliotecário ou pelo usuário final.
• O resultado da pesquisa é apresentado em blocos de 10 documentos, com opção para usar os operadores “Depois”, “Anterior” e “Próximo” tanto para documentos como para páginas.
• A expressão de pesquisa é reapresentada na tela para permitir refinamento.
• Pode-se pesquisar em toda a base ou selecionar unidades depositárias e seus locais.
• Pode-se utilizar o * (asterisco) como curinga, para potencializar as consultas. Por exemplo, pesquisando “financ*” recupera-se “finanças”, “financiamento”, “financeiro” entre outros.
• Pode-se efetuar pesquisas por semelhança entre termos. Por exemplo, Informando VITOR pode-se recuperar VITOR, VICTOR, VITORIA entre outros termos.
• Consultas avançadas usando prefixo ou sufixo de palavras, combinadas com operadores booleanos (E, OU, NÃO) e escollhendo intervalo de datas.
• O resultado da consulta, no todo, na página ou na seleção, pode ser exportado para cópia em outros sistemas ou para o e-mail do leitor.
• Consulta por número de tombo, com opção para editar o documento e ver histórico da movimentação.
• Consultas por código do assunto ( CDD, CDU ou outro ).
• Consulta exclusivamente pelo nome do autor ou pelo título.
• Ao detalhar um documento, o leitor obtém a informação sobre status do documento, se disponível ou não, se pode ser emprestado ou não, e outros detalhes. Os dados podem ser apresentados em forma de referência bibliográfica (ABNT NBR 6023) ou de acordo com AACR2.
• As rotinas de interesse do leitor estão disponíveis em um módulo exclusivo, denominado Módulo Leitor.
• Permite efetuar consultas a servidores Z39.50, bem como importar o resultado recebido. Este recurso funciona de forma integrada ao sistema.
• Permitir que o sistema funcione como servidor em protocolo Z39.50.

Diferenciais da pesquisa:

• Oferecer interface completa em idioma português ou idioma inglês.
• A tela de consulta ao leitor pode ser configurada para exigir ou não exigir identificação (login) inicial.
• Oferecer recurso com tecnologia Web-Service para que outros aplicativos possam utilizar os serviços de consulta.
• O leitor pode acessar a “Listagem do acervo”, onde recupera os documentos organizados por tipo, em páginas, sem necessidade de informar expressões de pesquisa.
• Pesquisa por semelhança entre termos.

c) Circulação ( Também chamada de Movimentação )

• Operações de retirada (empréstimo), devolução ou renovação, otimizadas, e com uso de leitor de código de barras.
• Aceita diversas políticas de empréstimo (empréstimo normal, consulta interna, caixa escolar, fim de semana), sendo que o próprio bibliotecário configura os prazos e quantidades permitidas.
• Possibilidade de identificar o usuário por leitor biométrico (impressão digital).
• Como a hora é tratada junto com a data, pode-se efetuar empréstimos com devolução no mesmo dia, porém em outro horário (Empréstimo por hora).
• Registrar feriados, globais ou por unidades depositárias, para tratar adequadamente as datas das movimentações.
• Opção para caixa coletora (devoluções em lote)
• Opção para definir dias específicos da semana (de segunda a domingo) para as devoluções de um determinado tipo de leitor ou de turmas específicas.
• Abertura para “empréstimos especiais”, que, mediante autorização, desconsideram as configurações de permissões para empréstimos.
• Controle da movimentação de guarda-volumes (chaves de armários ou similares).
• Controle de recursos adicionais: Acesso pago a internet, uso de impressoras e fotocópias.
• Manutenção individual do status do leitor, tal como desativá-lo, imputar pagamento, renovar validade.
• Tela única que permite acesso as principais sub-funções (ver reservas, acessar cadastro de usuários, ver multas, e outras), para aumentar produtividade de uso e possibilitar controle de acesso dos operadores.
• Recursos para importar o cadastro dos leitores ou integrar de forma on-line via web-service.
• Recursos para exportar as multas, inclusive de forma on-line via web-service.
• Opções para emissão de carteirinhas de leitores, com código de barras.
• Listagens dos tombos em aberto, em atraso, devolvidos ou toda a movimentação, com filtros por período, leitor, tipo de leitor, tombo, documento e vários outros filtros de seleção.
• Estatística da movimentação, por material, por leitor, por tipo de leitor, por data, assunto e outras.
• Aviso de atrasos e aviso de vencimento, via e-mail. Pode ser manual ou automatizado.
• Ampla gestão das penalidades, isto é, multas e suspensões, com baixa no momento da devolução ou em um momento posterior, opção para estornar uma baixa. Todas as movimentações efetuadas com as penalidades são registradas em log.
• Listagem das penalidades em aberto ou baixadas.
• Opção para renovação, com quantidades controladas pelo bibliotecário.
• Gestão das reservas diretamente pelo leitor ou avançado com o bibliotecário.
• Desativação ou prorrogação automática das reservas, pelo sistema.
• Uso de mini-impressoras para imprimir comprovantes de empréstimos do tipo bobina.
• Possibilidade de se vincular operador a localizações (bibliotecas setoriais), para garantir que ele efetue empréstimos somente do seu setor.

Diferenciais da circulação:

• Controle do “Empréstimo entre bibliotecas”.
• Opções para reimprimir comprovantes de retirada ou de devolução.
• Envio dos comprovantes de retirada ou devolução para o e-mail do leitor.
• Cadastrar a foto do leitor e apresentá-la na tela de empréstimos.
• Possibilidade de solicitar senha do usuário no momento do empréstimo, para dispensar uso de comprovantes.
• Registrar anotações individuais para os leitores, agindo como bloqueio de empréstimos, alerta nos empréstimos ou aviso quando ele efetuar login no sistema.
• Registro dos dependentes do leitor.
• Classificação dos leitores por cor e etnia, com separação nos relatórios.
• Criar quantidades livres de classificações adicionais para os leitores, sempre formada por 2 níveis, criando as associações entre eles e emitindo relatórios gerenciais. Por exemplo, profissão e especialidade, sexo e gênero, local de trabalho e cargo, e assim por diante.

d) Comunicação com o público

• Envio de e-mail livre para um leitor específico, ou para determinados tipos de leitores ou para todos os leitores.
• Envio automático de e-mail comunicando sobre chegada de material reservado.
• Envio de e-mail informando sobre vencimento de material emprestado. Pode ser emitido no dia do vencimento ou em dias anteriores.
• Envio de e-mail informando sobre material em atraso.
• Modificação livre, tanto do nome como do conteúdo, de informativos, chamativos, alertas e descritivos aos leitores na tela principal de acesso via web (internet/intranet).
• Envio de e-mail com parabenização pelo aniversário
• Envio de e-mail informando sobre aquisição de material do interesse do usuário (disseminação seletiva da informação).
• Exportação e envio de e-mail com o resultado de uma consulta ao acervo.

Diferenciais da comunicação:

• Criar mensagens chamadas “instantâneas”, onde o leitor forçosamente toma conhecimento de uma informação publicada pela biblioteca.
• Criar um texto mais longo, onde pode-se registrar o regulamento da biblioteca ou o regulamento de eventos ou qualquer outra descrição.
• Formar a biblioteca digital, com links para publicações disponíveis na internet.

e) Serviços ao leitor

• Disponibilizar os serviços em uma intranet ou via internet.
• Os mesmos recursos das consultas gerais e avançadas acima descritas, usando um browser.
• Listagem do acervo por tipo de documento, sem a obrigatoriedade de se informar expressões de busca.
• Possibilidades de visualizar ou dar download de arquivos eletrônicos vinculados ao documento (fotos, vídeos, planilhas, apresentações, documentos, projetos, entre outros).
• Consulta ao histórico individual dos empréstimos, tanto dos que já foram devolvidos como os que estão em aberto.
• Consulta ao acervo por curso e disciplina
• Acesso a listagem das aquisições, escolhendo o período.
• Controle individual das reservas , permitindo tanto criá-las como desativá-las.
• Possibilidade de efetuar renovação de material emprestado, diretamente pelo leitor.
• Atualização do perfil de interesse, para disseminação seletiva da informação, diretamente pelo leitor.
• Consulta do acervo em conformidade com o seu perfil da disseminação seletiva da informação (DSI).

Diferenciais dos serviços ao leitor:

• Possibilidade de enviar sugestões de aquisição ao bibliotecário.
• Possibilidade de enviar sugestões de indexação ao bibliotecário, através da folksonomia. O bibliotecário recebe a informação e decide sobre acatá-la ou não.
• Possibilidade de opinar se gostou ou não gostou de um documento ou de registrar comentários sobre o mesmo.
• Possibilidade de registrar “Minhas anotações”, privativas de cada leitor.
• Gestão de sugestões e reclamações.
• Integração com serviços de bibliotecas digitais BV Pearson e Biblioteca A.
• Integração com redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

f) Integração entre unidades depositárias

• Controle de acesso para cada operador, liberando todas ou somente a sua unidade depositária.
• Uso compartilhado dos mesmos recursos, sejam tecnológicos ou de conhecimento. Este compartilhamento, junto com o controle de acesso, permite trabalho integrado e ao mesmo tempo independente.
• Rotina de transferência do acervo entre unidades.
• Apresentação do acervo disponível em cada unidade depositária no momento de apresentar o resultado das consultas.

g) Publicações seriadas

• Registrar todas as informações bibliográficas de um periódico, suas assinaturas, os vários exercícios de cada assinatura, a coleção de fascículos recebidos e previstos para recebimento, fascículos suplementares e outras.
• Indicar se o periódico é corrente ou encerrado. Se estiver encerrado existirá sua data de encerramento.
• Cadastrar os artigos de cada fascículo, recuperando-os de forma direta.
• Emitir relatórios sobre assinaturas vincendas, isto é, aquelas que devem ser renovadas.
• Emitir comunicação para o responsável pela assinatura, para que ele informe se autoriza ou não a renovação.
• Emitir relação de fascículos não recebidos, isto é, fascículos em atraso. Também há a opção para emitir carta ao fornecedor informando sobre a falta do fascículo.
• Emitir listagem das assinaturas, com 6 opções diferentes de classificação, de modo a permitir amplo monitoramento.
• Registrar os valores que devem ser pagos em cada exercício de assinatura e monitorar as contas a pagar, com emissão de relatórios dos pagamentos em aberto ou já efetuados.
• Registrar os centros de custo e áreas responsáveis pelas assinaturas, informando a participação percentual de cada um e emitir listagem com a participação de cada centro de custo nas assinaturas de periódicos.
• Cadastrar os leitores e a prioridade para recebimento dos novos fascículos recebidos e emitir “roteiro de circulação de periódicos”, considerando sábados, domingos e feriados, e permitindo veicular mensagens informativas variadas.
• Imprimir “registro da coleção”, isto é, mapa com o calendário dos fascículos recebidos e previstos para serem recebidos (Kardex).

h) Aquisições

• Criação e controle de listas de sugestões ou solicitações de compra (SC) com todos os detalhes do material desejado e do usuário que efetuou a sugestão.
• Forçar a pré-catalogação do documento antes da sua aquisição, apresentando esta informação ao leitor no momento da pesquisa.
• Controle da situação (status) da SC (sugestão, sugestão reprovada, em aberto, encomendado, recebido e outras).
• Aviso aos fornecedores selecionados, para que eles próprios informem os valores cotados diretamente no site da instituição.
• Relatório para análise das cotações.
• Criação automática dos pedidos de compra e envio ao fornecedor via e-mail.
• Receber as SC’s e complementar a pre-catalogação inserindo apenas os exemplares.
• Relatórios diversos para gestão das SC’s.
• Análise da evolução dos custos das aquisições por centro de custos e período, voltado ao controle de orçamentos.

i) Gerenciamento da unidade de informação:

• Relatório estatístico dos empréstimos, por título, por tipo de documento, por usuário, por tipo de usuário e vários outros tipos.
• Relatório estatístico do detalhamento das consultas, também com diversos tipos de agupamentos.
• Controle do orçamento anual por centro de custo.
• Inventário do acervo, com listagens por localização. Pode-se importar dados gerados por coletor de dados e também exportar o resultado do inventário.
• Informação sobre quantidade de acessos na tela de consulta ao leitor.

Diferenciais do gerenciamento da unidade de informação:

• Relatório demonstrativo das buscas efetuadas, independentemente de terem resultado em êxito ou malogro. Isto permite, por exemplo, saber o que o público está pesquisando mas não está encontrando na biblioteca.

j) Segurança e customização:

• Criar diversos operadores, cada um com um conjunto próprio de permissões e associados a uma ou mais unidades depositárias.
• Checar as operações executadas por cada operador no registro de log do sistema.
• Customizar comportamento do sistema conforme preferências e padrões próprios da biblioteca.

Diferenciais da segurança e customização:

• Qualquer tipo de perfil de acesso pode ser criado para os leitores, possibilitando criar vários tipos de colaboradores.
• Customizar cores, logos, textos, fontes nas telas apresentadas ao leitor.
• Formar subcabeçalhos temporários ou permanentes, que serão impressos em todos os relatórios. Ideal para anotar detalhes especiais da emissão de um relatório.

k) Legislação:

• Permite o cadastro de normas e legislações de todos os tipos.
• Permite estabelecer vínculos entre registros de legislação dentro da própria base, com visualização dos links na interface web.
• Permite estabelecer vínculos com publicações periódicas cadastradas para fins de citação de fonte e controle de empréstimo.
• Permite a consulta via web das legislações em formulário de pesquisa próprio, com pesquisa por campos previamente configurados.
• Permite estabelecer links com arquivos eletrônicos em rede local ou disponíveis na internet.

l) Arquivos:

• Permite o cadastro baseado nas normas da ISAD/NOBRADE
• Permite a formação de planilhas de dados de acordo com o tipo de documento a ser digitado.
• Permite a utilização de vários quadros de classificação.

m) Portal do leitor:

Na mesma interface onde o leitor efetua as consultas, a equipe da biblioteca consegue de forma autônoma:
• Registrar e criar links de acesso a biblioteca digital
• Criar tela html com o regulamento da biblioteca
• Criar tela html com informações gerais ao público
• Criar tela html com mural eletrônico
• Criar mensagens de alerta, com visualização destacada.
As informações acima podem ser redigidas no idioma Inglês e Português.

n) Consultas gerenciais (BI)

• Criar pivot tables e gráficos em vários estilos com dados sobre as consultas, o acervo, as aquisições e os empréstimos. As consultas permite apresentar dados compactados ou sua evolução mensal.

o) APP

• Possui aplicativo para acesso via dispositivos móveis (celular, tablet e outros), permitindo pesquisa, renovação, reserva, inventário (pelo bibliotecário) e recebimento de notificações.

o) Enquetes

• Criar formulário de perguntas online, com diferentes tipos de formato para resposta (Sim/Não, múltipla escolha, escolha única, nota, comentário) e avaliar de forma numérica ou por gráfico as respostas de cada pergunta. O formulário ficará válido em um determinado período e pode ser aplicado a todos ou a determinados leitores.
• As enquetes podem conduzir pesquisas variadas com o público a fim de conhecer preferências e comportamentos.

VI) Manual

Está disponível de forma online, com opção de impressão e recursos avançados de busca.

Acesse-o em http://www.pensa-b.com.br

O manual tem dois grandes objetivos principais:
• Mostrar e conceituar todos os recursos disponíveis;
• Apresentar a maneira de acessá-los, criando um fluxo operacional.

Para que seja atualizado de forma objetiva, o manual não costuma apresentar detalhes específicos de campos ou telas. Isto pode ser obtido diretamente na tela, através de sua interface sugestiva ou da função Ajuda.

Para complementar, disponibilizamos uma variedade de “Tutoriais”, que tratam em detalhes uma função específica. Estes tutoriais também estão disponíveis no manual online.

VII) Informações técnicas e requisitos mínimos

a) Características da aplicação

• O sistema possui exclusivamente interface Web. O sistema é instalado em um servidor e todas as estações, sem limites, acessam-no através de um browser. Quando houver uma atualização, basta fazer isto no servidor e, automaticametne, todas as estações estarão atualizadas.
• O sistema como um todo é desenvolvido usando a poderosa ferramenta de desenvolvimento avançado Genexus ( www.genexus.com ).
• Permite acesso simultâneo para atualização e recuperação dos dados.
• As estações que atuarão como clientes precisam apenas de um browser e bastam ser um equipamento em boas condições. Podem rodar com qualquer versão do Windows ou do Linux ou outros sistemas operacionais que rodem browsers de acesso a internet.

b) Requisitos para servidor de banco de dados

• SGBD homologados: PostgreSql (Versão 8.3 ou superior), Ms-SqlServer (Versão 7.0 ou superior), Oracle (Versão 9.0 ou superior).
• Sistemas operacionais: Todos aqueles suportados pelo SGBD escolhido. Por exemplo, pode ser Windows Server ou Linux.
• Processador: A partir de Dualcore 1.7 Gb.
• Memória RAM: A partir de 4 Gb.
• Espaço em disco: A partir de 10 Gb.

c) Requisitos para servidor de aplicações

• Softwares homologados: IIS (versão 6.0 ou superior) para servidores Windows e Tomcat (Versão 5.5 ou 6.0 ) para servidores Windows ou Linux.
• Sistemas operacionais: Windows Server (a partir de 2000) ou Linux.
• Processador: A partir de Dualcore 1.7 Gb.
• Memória RAM: A partir de 4 Gb.
• Espaço em disco: A partir de 10 Gb.

d) Notas gerais

• Configurações inferiores também podem funcionar, mas podem comprometer o desempenho do sistema.
• Os dois servidores, de banco de dados e de aplicações, podem usar um único equipamento. A separação é recomendável apenas por questões de segurança e administração.
• Uma das vantagens de se trabalhar com interface web é a simplicidade da infra-estrutura. A equipe de TI precisa se preocupar com o servidor, mantendo-o protegido, organizado e executando diariamente a rotina de backup do banco de dados. A preocupação com as estações é bem menor, pois se um micro parar de funcionar, basta colocar outro em seu lugar sem que seja necessário instalar qualquer componente.
• O sistema é compilado com linguagens modernas, é bem estruturado internamente e utiliza da melhor forma possível os índices dos bancos de dados. Por isso pode-se dizer que ele é um sistema bastante rápido. Naturalmente, a infra-estrutura de redes e servidores deve ser compatível.

VIII) Dados da empresa

• Razão social Horizonte Tecnologia de Informática Ltda
• Nome fantasia PENSA-B SISTEMAS
• CNPJ 73.343.220/0001-91
• Data de fundação 14/09/1993
• Localização Joinville – SC